Rinoplastia

A rinoplastia é uma das cirurgias plásticas mais freqüentes mundo, sendo comumente indicada por deformidades estéticas, inclusive com o envelhecimento, por traumatismo, por dificuldade respiratória ou por embelezamento.
 

 O nariz ocupa o centro da face e é a primeira parte do rosto observada ao se olhar para uma pessoa, por isso, pequenas alterações e deformidades no mesmo, podem gerar grandes transtornos e queda na auto-estima, fazendo-a procurar um tratamento cirúrgico.
 

 Vários aspectos terão que ser analisados pelo médico especialista em “cirurgia plástica do nariz” que incluem o tipo de pele, características étnicas, idade e função nasal. A face tem que ser avaliada em conjunto, como um todo.  O objetivo da cirurgia é melhorar a estética, buscando a harmonia com os demais elementos faciais, sempre preservando ou melhorando a função respiratória.
 

 Sabe-se que a rinoplastia por motivos estritamente estéticos, restringe em 15 a 25% a área de ventilação nasal, por isso, cuidados especiais, especialmente na área da válvula nasal devem ser rigorosos.

 
 Na avaliação prévia, fotografias de diversos ângulos serão examinadas na companhia do paciente. Isso permite um planejamento conjunto e também, uma aproximada previsão de resultados. Do ponto de vista funcional, devemos realizar uma nasofibroscopia e uma tomografia computadorizada dos seios paranasais para estudarmos possíveis alterações anatômicas ou patológicas endonasais, como, entre outros, dismorfismos septais, hipertrofia de cornetos ou sinusite crônica, que serão tratados no mesmo ato cirúrgico. O nariz deve ser encarado como uma “unidade funcional-estética”.

 

  Um cirurgião com a técnica e a experiência necessária, atinge todos estes resultados. O procedimento cirúrgico costuma ser preferentemente realizado sob anestesia local e o paciente já costuma ir para casa no mesmo dia sem o desconforto do tamponamento nasal e respirando pelas narinas.  A cirurgia em si, consiste na modelagem e no ajuste de partes e elementos que estão deformados (ossos, cartilagens, mucosa e pele). Primeiramente é definido se iremos aumentar a dimensão do nariz (em narizes pequenos) em que são usados enxertos cartilaginosos do próprio septo nasal, orelha ou costela, ou se iremos diminuir a dimensão do mesmo (narizes grandes). 
 

Ajustamos a ponta nasal, aumentando, diminuindo e/ou afinando-a. Muitas vezes são ressecadas porções laterais das asas nasais para diminuir as mesmas.
 

 As assimetrias são freqüentes e devem ser identificadas no pré-operatório e tratadas, muitas vezes, com o uso de enxertos que camuflam as mesmas.
 

 A cirurgia dura em média 1,30 a 2 horas. Terminada, o nariz é modelado com micropore e protegido com pequena placa metálica que permanece 4 a 5 dias. As suturas internas são feitas com fios absorvíveis, e os pontos externos, se houverem, são retirados 4 a 5 dias, após.
 

Retirado o primeiro curativo o paciente permanece ainda por mais uma semana com micropore. Após duas semanas o paciente já não tem mais curativo algum, já tendo um aspecto “social”. O nariz operado não deverá parecer como tal.
 

 Rotineiramente, convênios e empresas de seguros não cobrem cirurgias com finalidade estética. Particularmente no caso do nariz, na maioria dos casos, as deformidades comprometem a função, sendo pois admitido uma cobertura por outro procedimento concomitante, como a “correção do septo”. o que de certa forma proporciona uma diminuição dos custos.
 

O médico otorrinolaringologista está apto à realização de cirurgias que embelezem o nariz e também, que corrijam deformidades e doenças no seu interior, num mesmo ato operatório.